(84) 3212-3040
E-mail:
contato@sosimoveisbrasil.com.br


Buscar por:

Buscar por palavra:

Abatimento

Ensaio normalizado para a determinação da consistência do concreto e que permite verificar se não há excesso ou falta de água no concreto.

CONCRETO – CONSISTÊNCIA PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE

1.0 – DOCUMENTOS BÁSICOS
1.1 – NM 67

2.0 – MATERIAL BÁSICO
2.1 – Concreto fresco

3.0 – EQUIPAMENTOS
3.1 – Molde troncocônico para “slump”.
3.2 – Haste de socamento (16 mm de diâmetro e 600 mm de comprimento).
3.3 – Placa metálica de base com 500 mm de lado e 3 mm de espessura.
3.4 – Régua metálica de 300 mm, graduada.
3.5 – Concha metálica.
3.6 – Complemento troncocônico metálico de enchimento, adaptável à base superior do molde (colarinho).

4.0 – ENSAIO
4.1 – Limpar e umedecer o molde, colocá-lo sobre a placa metálica, igualmente limpa e umedecida.
4.2 – Com o molde fixo pelos pés do operador, preenchê-lo com três camadas de concreto em volumes iguais, com o auxílio do complemento troncocônico, sendo que a última deve preenchê-lo totalmente.
4.3 – Cada camada deve ser adensada com 25 golpes da haste de socamento, distribuídos uniformemente.
4.4 – Após o adensamento, retira-se o complemento troncocônico, remove-se o excesso de concreto com o auxílio da colher de pedreiro, limpando-se após isto, a placa metálica em torno do molde.
4.5 – Eleva-se o molde pelas alças, levantando-o pela posição vertical, com velocidade constante, num tempo de (8 + 2) s.
4.6 – O abatimento do tronco de cone é a distância da base superior do molde ao centro da base da amostra, medida através da régua metálica, (ver figura 1).

5.0 – CÁLCULOS
5.1 – O resultado deve ser expresso em mm, com aproximação de 5mm.

6.0 – CUIDADOS A SEREM TOMADOS
6.1 – Ocorrendo desmoronamento deve-se refazer o ensaio com nova amostra.
6.2 – Evitar que ocorra trepidação durante o ensaio.
6.3 – Cumprir o tempo de desmoldagem.
6.4 – Executar o ensaio ininterruptamente, no tempo máximo de 2,5 minutos.

Ensaio de Abatimento do Tronco de Cone (Slump Test)

O Ensaio de Abatimento do Tronco de Cone mede a consistência e a fluidez do material, permitindo que se controle a uniformidade do concreto. A principal função deste ensaio é fornecer uma metodologia simples e convincente para se controlar a uniformidade da produção do concreto em diferentes betonadas. Desde que, na dosagem, se tenha obtido um concreto trabalhável, a constância do abatimento indicará a uniformidade da trabalhabilidade.

No Brasil este ensaio é regulamentado pela NBRNM67 (1998) – Determinação da Consistênciapelo Abatimento do Tronco de Cone. O ensaio basicamente consiste no preenchimento de um tronco de cone em três camadas de igual altura, sendo em cada camada dados 25 golpes com uma haste padrão. O valor do abatimento é a medida do adensamento do concreto logo após a retirada do molde cônico.

A noção de trabalhabilidade é, portanto, muito mais subjetiva que física, e o componente físico mais importante da trabalhabilidade é a consistência, termo que, aplicado ao concreto, traduz propriedades intrínsecas da mistura fresca, relacionadas com a mobilidade da massa e a coesão entre os elementos componentes, tendo em vista a uniformidade e a compacidade do concreto, além do bom rendimento durante a execução da estrutura. Misturas com consistência rijas têm abatimento zero, de modo que não se consegue nestes casos observar variações de trabalhabilidade. Já misturas ricas, como as comumente utilizadas nos concretos para a construção civil, podem ser aferidas satisfatoriamente com este ensaio.

Considerando-se as especificações dos concretos utilizados na construção civil, embora o ensaio apresente limitações, devido à facilidade de sua realização, torna-se muito útil para o controle da qualidade do concreto no estado fresco. No entanto, deve-se ter a garantia que o concreto foi dosado adequadamente e verificada a trabalhabilidade durante o seu preparo.

 

 

 

Voltar

Área do Assinante